segunda-feira, 1 de junho de 2009

Tudo

Fazia tempo. Estava sentada na mesma praça de seis meses atrás. O clima estava diferente. O céu continuava azul, havia nuvens, sol, mas o ar estava gelado. Outono. Sempre fui do tipo que gosta do calor, mas a vida, apesar de me tornar mais dura em certos aspectos, me tornou maleável em outros. Aprendi a gostar do frio por motivos fúteis. As roupas mais elegantes, a presença do sol. Calor confortável. Frio bom, até certo ponto.
Me sentei no mesmo banco, sem perceber. Me dei conta de tudo. Das sensações daquela época. Do frenesi de estar começando algo novo, da alegria. Me lembro de ter respirado fundo e olhado para o alto desejando que aquilo me ensinasse muito, que fosse a decisão certa. Fiquei tanto tempo nestes seis meses aprendendo e me tornando alguém melhor profissionalmente que não pude ver o quanto isso foi certo, de verdade.
Ali, sentada, respirei fundo novamente. Olhei para cima. O sol mudava as cores das folhas no alto. Tudo silenciou. O cheiro familiar na minha roupa. Cheiro de casa. O conforto do lugar. Me encontrei, finalmente. Depois de tanto tempo perdida entre vontades, deveres, direitos. Eu estava ali, inteira de novo. Sorri. Estava inteira porque percebi que tinha tudo o que sempre tive e ainda mais. Conquistei muita coisa nova, aprendi a manter as antigas. E nada é mais importante agora do que isso.

7 comentários:

  1. talvez tudo que mais desejamos esteja ali, logo do outro lado da rua ou na esquina seguinte.
    o que nos motiva, o que nos deixa mais leve, coloridas e alegres está nas pequenas ações, carinhos e palavras que dizemos, talvez, no que não dizemos.

    ResponderExcluir
  2. Bom as mudanças, são na verdade transformações sutis da calma que só percebemos quando sentimos nas pequenas decisões que são diferentes das que talvez tmariamos em outras épocas, algumas sabemos o motivo outras são tão suaves que quando nos damos conta mudaram tanta coisa que nada mais será como antes...
    Mas, enfim cada transformação é importante na constituição do que nos tornamos...
    A cada instante mudamos algo e o que nos faz viver é esta ciranda chamada vida...
    Que que a cada dia os nossos conceitos mudem coisas que não eram importantes hoje são, outras que perdiamos horas pensando hoje não passam de lembranças...
    beijos

    ResponderExcluir
  3. meus olhos estão lacrimejando... porque isso tudo que você escreveu e suponho que esteja sentindo, é o que eu ando buscando e não estou conseguindo encontrar ultimamente. a harmonia, a plenitude. os meus novos conceitos e as mudanças estão mais como um caos na minha cabeça do que como uma concepção de valores.
    nossa, fiz uma SUPER análise sobre seu post e tal! hahaha!
    gosto muito do jeito que você escreve. e tenho dito!
    beeeeejo baby!

    ResponderExcluir
  4. É muito gratificante e prazeroso colher esses frutos novos,essas descobertas positivas. É nesse exato momento que realmente percebemos que crescemos como gente.Parabéns pela descoberta e sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  5. seu post lembrou mto o meu. essa coisa de frio e arvores balançando é demais! e vc descreve muito bem as situações tb. muito bonito, meu bem!
    e amanhã conversamos, pq eu tb estou com saudade!
    um beijo

    ResponderExcluir
  6. tbem precisva me sentir completa...
    mas eh mais dificil do que eu poderia imaginar.

    ResponderExcluir
  7. Uma vez, no início do curso, fui ver uma peça. Depois dos aplausos, o Sérgio Britto reapareceu só para dizer que o espetáculo deveria nos fazer refletir sobre a seguinte questão:

    - Será que mês vai ser melhor?

    Não foi. Agora é. E os próximos seis serão ainda melhores. O primeiro dia do resto da nossa vida começa... Já!

    ResponderExcluir

Escreve aí o que você achou do que eu escrevi....ou escreve o que você não achou...ou escreve o que você quiser...ahhh...escreve aí!