terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Metamorfose

Se for para fazer um balanço do ano que seja sincero! Pois bem, o ano foi interessante. Sim, creio que esta seja a palavra exata para descrevê-lo: interessante. Se eu disser maravilhoso é mentira, triste também, bom é simplista, vago. Então, que seja interessante. Profundidade também se encaixa na descrição. O ano foi repleto de aprofundamentos (Deus, que palavra feia!).
Conheci mais profundamente a amizade e seu real significado, mergulhei profundamente no trabalho e na faculdade e, com certeza, finalmente conheci o amor. É..qualquer mortal diria que foi um ano significativo e foi, de fato. Sinceramente, o sinto inacabado e ele está chegando ao fim tão rápido. Olha a contradição aí (característica marcante de minha personalidade e/ou pensamento): até outro dia ele parecia nunca ter fim. Estava exausta, ainda estou, mas no fundo sei que este ano foi o começo de muitas coisas e a maioia delas têm consequências a longo prazo, o que significa que 365 dias não são nada comparados à tudo o que tenho que aprender. Ainda bem!
A verdade é que quero muito, e este meu querer infindável por vezes se divide entre os sentimentos de orgulho e preocupação. Me orgulho da minha gana por estudos, aprendizado, oportunidades, amizades, lugares. Em contrapartida me preocupo com alguns de meus desejos que parecem não ter fundamento (e quase sempre não tem mesmo).
Enfim, hoje me olho no espelho e enxergo uma pessoa tão diferente daquela que conhecia bem há um ano, seis meses, três. Foi há pouco que me dei conta disto e quer saber? Gosto desta pessoa, simpatizo com ela! É diferente, mas melhor. Não sei porquê, mas sinto que é um pouco mais parecida com a pessoa que quero ser...um dia.