terça-feira, 23 de novembro de 2010

Quando 2 + 2 são 22


O que acontece quando a matemática deixa de ser exata? As somas têm outro significado, as divisões se tornam mais difíceis e a multiplicação - ainda mais se o assunto for dinheiro - ihhh, esquece!


Pior é quando o tempo resolve brincar com você. Passa devagar, quase parando, quando o que mais se quer é que o dia termine. Mas aí, quando você precisa de mais tempo para uma gráfica, para conseguir trabalho ou para simplesmente respirar não é que o desgramado corre sem freios!


Lembrei que iria fazer aniversário há cerca de uma semana. Não tinha me dado conta antes, como também não me dei conta no dia, que eu estava envelhecendo. Tenho esta consciência deturpada há uns tempos. De que o tempo está passando, de que meu relógio precisa de manutenção já que seu habitual tic-tac quase mudo vem se fazendo notar. Talvez porque minha vida acadêmica atingiu aquele ponto em que a continuidade é questão de "escolha" e não - tanto - de necessidade. Ou talvez porque meus vinte e poucos anos se tornaram realmente vinte e poucos. Ou talvez porque comecei a prestar atenção nos meus atuais receios e anseios e não me lembro de sentir nada parecido antes, quando meus pensamentos eram de todo joviais demais.


Não, não estou velha, só estou "envelhecendo" e começando a querer aquelas coisas que se pensa querer em tempos distantes. Um sossego diferente, a mesma pessoa - sempre -, o emprego seguro, quem sabe dos sonhos. Vai chegando aquele tempo em que você realmente quer fazer dos seus sonhos realidade e seus sonhos são possíveis.


E as horas?...ahh...a espera é calma, torturante ainda, com aquele hálito ansioso ainda presente de uma adolescência não tão distante, mas que alcança um teor quase doce de certeza.